Carrinho de Compras

Qtd: 0 - R$ 0,00

Artista:    ALDEMIR MARTINS
Técnica: Pintura acrílica s/ tela
Medida:      100x80 cm
Ano: -
Comentários:    -
Preço:    Sob Consulta
Código:    7180/123

Obra Vendida

  Consulta de Preço

  ALDEMIR MARTINS

O artista plástico Aldemir Martins nasceu em Ingazeiras, no Vale do Cariri, Ceará em 8 de novembro de 1922. A sua vasta obra, importantíssima para o panorama das artes plásticas no Brasil, pela qualidade técnica e por interpretar o “ser” brasileiro, carrega a marca da paisagem e do homem do nordeste.


O talento do artista se mostrou desde os tempos de colégio, em que foi escolhido como orientador artístico da classe. Aldemir Martins serviu ao exército de 1941 a 1945, sempre desenvolvendo sua obra nas horas livres.


O artista participou de diversas exposições, no país e no exterior, revelando produção artística intensa . Sua técnica passeia por várias formas de expressão, compreendendo a pintura, gravura, desenho, cerâmica e escultura em diferentes suportes.


Falece em 05 de Fevereiro de 2006, aos 83 anos, no Hospital São Luís em São Paulo.


 

Morre aldemir martins O artista plástico cearense Aldemir Martins faleceu na noite de domingo, 5 de fevereiro, aos 83 anos, vítima de enfarte, em sua casa em São Paulo. Nascido em 8 de novembro de 1922 em Ingazeiras, no Vale do Cariri, demonstrou desde menino talento inato para o desenho. No período em que serviu ao Exército, de 1941 a 1945, continuou desenvolvendo sua arte e ajudou a criar o Grupo Artys e a Sociedade Cearense de Artistas Plásticos (Scap), juntamente com outros pintores. Mudou-se para o Rio de Janeiro em 1945 e para São Paulo em 1946.


De 1960 a 1961, morou em Roma. Martins sempre deixou transparente em suas obras uma brasilidade inconteste, seja nos temas, que priorizavam imagens do homem e da paisagem nordestinos, tais como cangaceiros, rendeiras, animais, frutas e flores, seja nos traços fortes e nos tons vibrantes. Utilizou várias vias de expressão, como a pintura, a gravura, o desenho, a cerâmica e a escultura em diferentes suportes. Também atuou fazendo ilustrações para jornais e livros.


Uma de suas características mais marcantes foi a constante experimentação, tendo trabalhado com variados tipos de superfície, de pequenas madeiras para caixas de charuto, papéis de carta, cartões, telas de linho e de juta, fôrmas de pizza etc. Participou de diversas exposições no Brasil e no exterior. Seu trabalho ganhou diversos prêmios, como o de melhor desenhista na Bienal de São Paulo de 1955, dividido com Carybé, e o prêmio de desenho na Bienal de Veneza, em 1956. O artista foi enterrado no cemitério Campo Grande, em Santo Amaro, zona sul.